Cookies. Google anuncia que em 2 anos deixará de usar Cookies

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Cookies. Google anuncia que em 2 anos deixará de usar Cookies
TEMPO ESTIMADO DE LEITURA: 4 MINUTOS

Neste artigo você irá ler:

O Google está perdendo a guerra por causa dos cookies e pode abandoná-los em favor de um novo dispositivo de rastreamento de usuários. O Google está trabalhando em um sistema alternativo de rastreamento de anúncios que poderia substituir os cookies, de acordo com o USA Today.

O novo sistema é chamado “AdID” e ofereceria certos aprimoramentos de privacidade e segurança sobre o cookie. Com isso, o Google anunciou para o mercado que em 2 anos deixará de usar os cookies. Os cookies permitem que os anunciantes segmentem pessoas com anúncios do site que eles visitaram anteriormente.

Com o anúncio, o Google está abalando o mundo da publicidade com sua decisão de “tornar obsoleta” uma ferramenta essencial usada pelos vendedores há anos para rastrear clientes em potencial à medida que se movimentam pela web: o Google está eliminando os famigerados Cookies.

A unidade da Alphabet Inc. disse que deixaria de utilizar cookies de terceiros nos próximos dois anos. Cookies são fragmentos de código hospedados nos navegadores das pessoas e os seguem na Web – permitem que os anunciantes segmentem pessoas com anúncios de sites visitados anteriormente e rastreiem anúncios que levaram a uma compra.

Google declara guerra as famigerados Cookies

Os cookies têm sido uma parte central de como a enorme indústria de anúncios online opera. A Criteo SA, uma empresa francesa de tecnologia de marketing que está particularmente ligada ao sistema atual, desvalorizou 16% no mercado após a notícia.

A decisão do Google marca o início de uma nova realidade para o marketing digital, apesar de não ser a única empresa com uma postura semelhante. Os navegadores Safari da Apple e FireFox da Mozilla Corp. já bloqueiam cookies de terceiros, mas como o Chrome é usado pela maioria dos usuários da Internet, a decisão da empresa representa uma grande mudança no setor.

Os usuários exigem maior privacidade, incluindo transparência, escolha e controle sobre como seus dados são usados, e é claro que o ecossistema da web precisa evoluir para atender a essas demandas crescentes

Livrar-se dos cookies “fundamentalmente faz tudo diferente”, diz Ari Paparo, chefe da empresa de publicidade digital Beeswax e ex-executivo do Google. Se a primeira era da publicidade on-line foi a venda direta entre editores e anunciantes, e a segunda foi a oferta baseada em algoritmos, um sistema sem cookies será o terceiro, diz Paparo.

Apesar da magnitude da mudança, Paparo acredita que muitos anunciantes tiveram tempo de se livrar dos cookies. O destino da ferramenta já estava no limbo há algum tempo e, pelo menos agora, há clareza para a indústria sobre o que esperar, diz ele.

Mais conveniência para os vendedores: as mudanças afetam apenas a publicidade em computadores, enquanto milhares dólares em publicidade estão sendo despejados em telefones celulares ou TVs conectadas.

“A publicidade relevante não vai a mudar, mas os cookies são uma tecnologia arcaica”, diz Dave Pickles, diretor de tecnologia e co-fundador da empresa de tecnologia de publicidade The Trade Desk Inc. “Os segmentos de mais rápido crescimento da indústria, como o crescente mercado de televisão conectada, eles contam com novas soluções de identidade.”

O Google promoveu a mudança como uma concessão para mudar de opinião em relação à coleta de dados online. “Os usuários exigem maior privacidade, incluindo transparência, escolha e controle sobre como seus dados são usados, e é claro que o ecossistema da web precisa evoluir para atender a essas demandas crescentes”, disse o diretor de engenharia do Chrome, Justin Schuh, em um blog post.

Mas mesmo depois que os cookies desaparecem, a publicidade direcionada não desaparecerá completamente. O Google propôs mudanças que permitiriam o rastreamento continuar sem transmitir informações pessoais aos anunciantes. Isso poderia dar ao Google mais poder, cortando o uso de valiosos fluxos de dados pelos vendedores e aumentando a privacidade online.

Nos últimos anos, o Google tem procurado um grande número de ameaças a seus negócios, incluindo a crescente demanda pública por privacidade e investigações governamentais sobre se suas práticas comerciais no mundo da tecnologia de publicidade são anticoncorrenciais.

Se o Google excluir muito os anunciantes de seu sistema, eles poderão aumentar suas reclamações de que isso é injusto. Mas se você ignorar os defensores da privacidade, alguns usuários do Chrome poderão optar por outros navegadores.

Eu por exemplo passei a usar o Brave, um browser baseado no Chromium que promete total privacidade ao navegar na internet e que inclusive recompensa seus usuários por navegar na internet e por apoiar seus criadores de conteúdo favoritos, com o uso do BAT, um token baseado no Ethereum. O navegador possui uma wallet para este fim.

O período de dois anos para a eliminação gradual de cookies deve dar algum tempo para os especialistas em marketing se adaptarem, e o gigante das buscas disse que está buscando contribuições da indústria enquanto trabalha para encontrar maneiras de ajudar a apoiar o Publicidade online no futuro.

O Google falou sobre a adoção de uma abordagem mais medida para anúncios online do que os navegadores rivais Apple e Mozilla. Embora essas empresas não recebam muito dinheiro com publicidade, a grande maioria da receita do Google vem de anúncios online.

O Google está interessado em manter os anunciantes gastando dinheiro em seus sites e produtos de publicidade. O império da empresa se baseava em sua capacidade de fornecer publicidade direcionada.

O que são Cookies

Cookies são pequenos pedaços de código que anunciantes e sites lançam no seu navegador enquanto você navega na web. Eles rastreiam seu histórico da web, que os anunciantes usam como um guia para seus possíveis interesses comerciais.

Compartilhe este artigo nas redes sociais

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Assine nossa Newsletter

Sobre o autor deste artigo

Rodrigo Henrik

Rodrigo Henrik

Criador e CEO do ECOMMERCE MASTERS, maior Comunidade de Ecommerce do Brasil, no Facebook, com mais de 31.800 mil membros ativos. Ajuda empresas locais a ter mais visibilidade, atrair mais clientes e aumentar as vendas.

Sobre o autor deste artigo

Rodrigo Henrik

Rodrigo Henrik

Criador e CEO do ECOMMERCE MASTERS, maior Comunidade de Ecommerce do Brasil, no Facebook, com mais de 31.800 mil membros ativos. Ajuda empresas locais a ter mais visibilidade, atrair mais clientes e aumentar as vendas.

Comente este artigo!